Cupido e Psiquê, a famosa escultura de Antonio Canova

Esta famosa escultura do artista veneziano Antonio Canova retrata uma das mais lindas histórias de amor da mitologia grega,  Cupido (Eros) e Psiquê:

“Psiquê era uma jovem lindíssima e muito admirada. Afrodite, a deusa do amor, tinha ciúmes da beleza da moça e ordenou que seu filho, Eros (cupido), flechasse a jovem para que ela se apaixonasse pelo ser mais horrendo da face da terra. O que ela não esperava é que o próprio Eros se apaixonasse por Psiquê e não cumprisse a ordem. Num romance cheio de idas e vindas, terminam com a permissão de Zeus para viverem felizes para sempre no Monte Olimpo, desfecho muito raro entre os seres mitológicos.”

Canova dedicou um esforço considerável na complexa composição desta obra, fazendo inúmeros desenhos e modelos de barro e gesso. O artista pode ter sido inspirado em parte por uma imagem encontrada na antiga cidade de Herculano, cuja redescoberta e escavação, junto com Pompéia algumas décadas antes catalisaram o movimento neoclássico em toda a Europa.

A imagem, reproduzida em gravura publicada em 1757, mostra um fauno e uma bacante se abraçando, em poses ecoadas pelo casal representado por Canova. Mas o escultor refinou e idealizou esse material de origem, dando às suas figuras as formas esguias e as características serenas das esculturas clássicas que ele estava se inspirando. Os braços, pernas e asas entrelaçados e contrabalançados do par criam uma composição dinâmica girando para cima e que não pode ser totalmente apreciada de um único ponto de vista, podendo ser vista de diferentes ângulos. As variadas qualidades físicas e texturas de superfície criadas por Canova, da pele macia às cortinas transparentes e às poderosas asas parcialmente translúcidas do Cupido, são testemunho de sua notável habilidade no manuseio do mármore.

Canova fez duas versões ligeiramente diferentes desta composição. A primeira, encomendada por um britânico, foi posteriormente adquirida pelo cunhado de Napoleão e hoje está no Museu do Louvre, em Paris. O segundo, foi feito para o príncipe Nicholas Youssoupov e agora está no Museu Hermitage, em São Petersburgo. O gesso foi herdado pelo assistente de Canova, Adamo Tadolini, que o usou para replicar grupos adicionais. Os pinos de metal inseridos sobre a superfície ajudaram o escultor a transferir a forma do conjunto complexo do gesso para o bloco de mármore do qual a escultura foi esculpida. A graça e a beleza requintadas deste trabalho estabeleceram o padrão para o estilo refinado e elegante de Canova, uma parte de sua produção que às vezes ofuscava suas representações de figuras heroicas e monumentos a pessoas importantes.

Cupido (Eros) e Psiquê. Antonio Canova. 1793 – Mármore ( 1,55 x 1,68 m ) – Localização: Museu do Louvre, Paris

 

 

por Roseli Paulino – @arteeartistas

 

 

CARO LEITOR:  Aproveite o espaço e nos conte o que achou desse post, o seu comentário é muito importante para nós. Agradecemos sua visita.

 

Sair da versão mobile