O Balanço, de Jean-Honoré Fragonard

O Balanço é uma pintura do artista francês Jean-Honoré Fragonard criada em 1767. A rica composição retrata uma cena típica do movimento rococó que teve seu auge durante o século XVIII. Trata-se de um óleo sobre tela (64.2 x 81 cm), localizado no Museu Wallace Collection, Londres, Reino Unido.

Em 1767, o Barão de Saint-Julien quis mandar fazer uma pintura dele na companhia de sua amante, com uma ideia muito precisa da cena em questão. Fragonard era ainda um jovem pintor quando aceitou a encomenda.

À primeira vista, a pintura parece ser uma simples imagem de uma jovem inocente brincando, mas depois fica claro que a cena é deliberadamente picante e bastante maliciosa.

No centro da pintura está uma mulher,  sentada em um balanço em movimento (na época, um balanço era um símbolo convencional de infidelidade). Ela está sendo empurrada por um homem idoso ao fundo que não faz ideia da presença de um homem na cena. Ela joga maliciosamente seu sapato – sinal de sensualidade – em direção ao seu amante (o Barão) revelando ao mesmo tempo seu tornozelo, que na época tinha uma conotação eminentemente erótica.

Sentado e recostado em uma coluna, está o amante que se encontra no lugar certo para ver as pernas da jovem, que teve uma visão que o perturba a ponto de fazê-lo perder o equilíbrio e cair nas flores.

O homem idoso que encontra-se na extrema direita empurrando o balanço, supostamente seria o marido enganado  com um sorriso no rosto sem suspeitar que sua esposa está se divertindo com outro homem.

Do lado esquerdo acima do barão, aparece um Cupido (símbolo do amor) que leva um dedo aos lábios para evitar que os dois Vênus sob o balanço denunciem o jogo, enquanto o braço esquerdo estendido do jovem (o Barão) tem um significado óbvio.

A exuberância alegre da pintura é acentuada pela forma como os babados do vestido da jovem combinam com o padrão da folhagem existente, bem como por suas cores pastel brilhantes e iluminação suave. Este instantâneo erótico – esta obra-prima da arte rococó, comemorando o espírito de refinamento estético e decadência aristocrática às vésperas da Revolução Francesa ,  mostra que na área de erotismo, Fragonard é simplesmente incomparável.

 

Autorretrato. 1770

 

Jean-Honoré Fragonard  (1732-1806) Foi uma figura muito importante na pintura francesa do século XVIII, que hoje é considerado entre os maiores de todos os artistas rococós. O excepcionalmente talentoso artista, foi treinado por François Boucher , famoso por sua pintura da vida cotidiana e obras de gênero.  Em meados da década de 1760, revitalizando o idioma iniciado por Jean-Antoine Watteau, Fragonard começou a se especializar nas composições divertidas e eróticas pelas quais ele é agora mais famoso. Sua delicada paleta de cores do século XVIII, conteúdo espirituoso e pinceladas rápidas deram até mesmo às suas telas mais voyeuristas uma maravilhosa atmosfera de muita alegria.

 

 

 

 

por Roseli Paulino – @arteeartistas

 

CARO LEITOR:  Aproveite o espaço abaixo e nos conte o que achou desse post, o seu comentário é muito importante para nós. Agradecemos sua visita.

 

Sair da versão mobile