Ben Heine

Benjamin Heine , ou melhor, Ben Heine assim como ficou conhecido, é um desenhista e ilustrador, mas também acumula outras habilidades como, pintor,  fotógrafo e músico, que além de tocar alguns instrumentos como piano por exemplo, atua como produtor e compositor. 

Nasceu no ano de 1983 em Abidjan, na Costa do Marfim. Vive e trabalha em Bruxelas, na Bélgica. Ficou muito conhecido por suas séries Pencil Vs Camera, Circlism Digital e Flesh and Acrylic, onde mistura técnicas inovadoras. Possui Mestrado em Jornalismo na Escola IHECS de Jornalismo em Bruxelas. Também se dedicou em estudos em História da Arte e escultura na Hastings College of Arts & Technology no Reino Unido.

Suas obras foram exibidas em inúmeras feiras e galerias na Bélgica, Hong Kong, Coréia do Sul, Reino Unido, Rússia, Romênia, Holanda, Itália, Alemanha, França, Canadá, EUA, Turquia, Brasil e Espanha, com publicações de seus trabalhos em alguns dos jornais e revistas mais famosos do mundo.

Além de seus estudos acadêmicos em arte, ele também conseguiu aprender vários idiomas, como francês, inglês, holandês polonês, espanhol e russo. Tanto interesse por inúmeros idiomas, é por ser apaixonado por viagens para descobrir novas cidades e culturas, na busca de inspiração para seus projetos criativos.

SÉRIES FAMOSAS:

Pencil Vs Camera

Nessa série, o artista uniu duas modalidades artísticas: a ilustração e a fotografia. A criação das obras iniciaram em 2010 e ganhou à partir dela, muita popularidade em todo o mundo.

As imagens geralmente mostram um esboço desenhado a mão mantido e fotografado pelo artista para infundir cenas comuns com novas narrativas surrealistas, visionárias ou romantizadas. A mão visível de Ben representa a conexão entre o visualizador, o artista e a obra de arte. Heine não recria fotografias, mas ele as reimagina. Nessas imagens, ele gosta de contar uma história e transmitir mensagens atemporais usando imaginação, ilusão, poesia e surrealismo. Seu trabalho é impulsionado por uma positividade destemida. Uma foto já bonita é aprimorada com um esboço que acrescenta um toque de sátira e capricho.

Começando com esboços simples, Ben trouxe grandes inovações para  esse conceito adicionando cores e papel preto ou aumentando o tamanho dos desenhos.  Desde 2012, muitas aplicações de smartphones imitam esse estilo e vários outros artistas também emprestaram as inovações de Heine para criar variações dessa série.  Eles dizem que a imitação é a forma mais elevada de lisonja.

O conceito também se tornou popular em muitas escolas primárias e secundárias em todo o mundo. Ele é usado para estimular a imaginação dos alunos e incentivá-los a usar novas tecnologias e compartilhar suas idéias.

Ben Heine - foto e desenho
Série pencil X camera
Ben Heine - pencil X camera
Série pencil X camera
Ben Heine - pencil X camera
Série pencil X camera
Ben Heine - pencil X camera
Autorretrato – Série pencil X camera

Flesh and Acrylic

Um outro projeto iniciado em 2011, Ben Heine cria pinturas acrílicas abstratas em grandes painéis de madeira. O artista mistura um modelo com o plano de fundo. A particularidade do projeto reside no fato de que uma pessoa viva está integrada na obra de arte e faz parte de toda a composição, tornando-se quase invisível. O resultado final muitas vezes é selvagem, muito colorido e atraente. Geralmente ele cria tais obras de arte para performances públicas em museus ou shopping centers em todo o mundo.

Em 2013, Ben fez a série “Black Stickers”, uma variação de “Flesh and Acrylic”, onde os modelos pintados também dançaram e se moviam durante as apresentações de Heine. Mais tarde, Heine começou a usar manequins além de pessoas vivas, o que permitiu que ele passasse mais tempo em cada criação.

Ben Heine Art - Flesh and Acrylic - Sandra Rassios (2014)
Ben Heine Art – Flesh and Acrylic – Sandra Rassios (2014)
Ben Heine - pencil X camera
Flesh and Acrylic: Colorful Invisible Bodies

Ciclismo digital: retratos de celebridades feitas com círculos

Através do uso de softwares gráficos e muita criatividade, Ben recria nesta série iniciada em 2010, rostos icônicos da história e da cultura pop com círculos planos de vários tamanhos e cores, para assim dar-lhes uma aparência tridimensional e  dinâmica.

Heine o define como uma síntese do Pop Art (arte que inclui imagens da cultura popular) e Pontilhismo (técnica de pintura que usa pequenos e distintos pontos de cor pura).

Nesta série, o artista acrescenta um significado simbólico aos assuntos retratados. “Estes retratos são tão impressionantes quanto os cartazes tirados da icônica foto de Alberto Korda do Che Guevara, mas de repente reconstruídos para serem projetados sobre o infinito do espaço digital, uma espécie de obras de arte de vitrais modernas.

Cada retrato requer entre 100 a 180 horas O artista explicou seu fluxo de trabalho em uma entrevista para o Adobe Photoshop. Em 2015, Heine colaborou com a Mazda para criar um design de círculo que mostrava um rosto de leão gigante no capô de um carro Mazda 3, o resultado foi exibido no Feira de arte acessível de Bruxelas. Muitos dos retratos do círculo de Ben, infelizmente, foram copiados, roubados e plagiados em vários países ao redor do globo.

Ben Heine - ELvis Presley
Elvis Presley
Ben Heine - Bob Marley
Bob Marley
Ben Heine - Freddie Mercury
Freddie Mercury
Ben Heine - Mad Hatter
Mad Hatter – Johnny Depp

Fonte:

site do artista – http://www.benheine.com/ 

CARO LEITOR:  Aproveite o espaço abaixo e nos conte o que achou desse post, o seu comentário é muito importante para nós. Agradecemos sua visita.

“Acredito que a Arte está em tudo no que nos rodeia, basta um olhar sensível para apreciar e usufruir das diferentes manifestações artísticas. A Arte é a grande e bela ilustração da vida.”