Biografia de Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci, homem universal do Renascimento italiano,  é considerado por muitos o Hamlet da História da Arte. A verdade  é que há séculos sua figura causa obsessão por seu caráter de esfinge, por sua profundidade e sutileza, por seu refinamento.

Pintor e desenhista máximo, engenheiro versado em Física, Mecânica e Química, estrategista, arquiteto, urbanista, escultor, anatomista, inventor, homem de espírito e de método, soube juntar ciência e arte, análise e emoção, natureza e idealismo, previsão e espontaneidade, consciente e inconsciente, gravidade e jogo. Apesar de tanta obra-prima que deixou atrás de si, suspeitamos que nenhum ultrapassa  à criação de si mesmo . “É livre quem é causa de si mesmo”, escreveu Tomás de Aquino em frase que o honra.

Da Vinci nasceu às 22 horas no dia 15 de abril de 1452. Era o ano em que, empurrado por mãos turcas,  se derrubava o império romano do Oriente. O lugar foi Anchiano, perto de Vinci, vizinho de Florença. Seu pai, Ser Piero, era tabelião. Sua mãe, Caterina, que logo o abandonou para casar-se com um aldeão, trabalhava no campo. Ser Piero, por sua parte, casou-se com Donna Albieri, com quem viveu em Vila Adriano. Não tiveram filhos até que Leonardo começou sua aprendizagem. Da sua infância nos resta a mesma natureza, da qual se encharcou até o êxtase, e uma lembrança: “Estava em meu berço e, de repente, me pareceu que um estranho vilão se precipitava sobre mim. Com as plumas me abriu a boca e as moveu de um lado para o outro de meus lábios. Tal parece ser meu destino”.

Tobias e o Anjo. Verrocchio. 1470–1475

Aos treze anos, foi viver em Florença, na Rua dos Gondi. Três anos depois entra no ateliê de Verrocchio, elo que o unirá à corrente de Ghiberti, Brunelleschi e Donatello. Seis anos durou o longo aprendizado com o célebre pintor, escultor e matemático. Com Verrocchio, coroou a cúpula de Brunelleschi em Santa Maria del Fiore com a esfera de cobre dourado que sustenta a cruz.

Um detalhe interessante: provavelmente, Leonardo da Vinci foi o modelo para Verrocchio, em dois de seus trabalhos, pois também era um jovem de traços bonitos e de grande beleza física. Um exemplo disso, podemos observar na pintura onde ele foi representado por seu mestre como o arcanjo, em Tobias e o Anjo.

Em 1475, Leonardo recebe a encomenda de uma Anunciação e do Retrato de Ginevra Benci, e posteriormente a de pintar uma Adoração dos Pastores. Nessa última citada, abordou o  tema com singular e heterodoxa ambição. Consta nada menos que  66 figuras diferentes, sendo 41 de animais. Dela se disse que só Goya em suas pinturas negras conseguia um tratamento igual da massa humana.

Já um adulto, Leonardo, media dois metros de altura, ele era vegetariano, homossexual e pacifista; muito incomum naquela época. Desenvolveu um método de escrever da direita para esquerda, e acredita-se  que ele cometeu erros deliberados e omissões em suas anotações e rascunhos, a fim de proteger suas ideias e concepções de suas próprias  invenções.

 

Um dos projetos de Leonardo com a escrita reversa

Leonardo tinha cerca de trinta anos de idade ao escrever uma carta para Ludovico “il Moro”, então governante de Milão, relatando suas habilidades e projetos para ajudar nas batalhas bem como oferecer seus serviços em outras diferentes habilidades que possuía. Foi assim que o nobre artista foi para Milão, por volta de 1482.

Muito do que sabemos sobre as ideias científicas de Leonardo, vêm de seus códices. Acredita-se que ele tenha escrito pelo menos 24 mil páginas, mas só seis mil são conhecidas. Ele escreveu sobre geometria, fauna e flora, matemática, física, filosofia; fez rascunhos anatômicos incrivelmente detalhados (sob risco significativo para o comportamento herético de dissecação de corpos no início de 1500) e projetou desenhos inovadores para construção e invenções mecânicas.

Leonardo era muito conhecido por sua habilidade em tocar instrumentos musicais como a lira. Com base naquilo que sabemos pelos seus biógrafos e pela carta de apresentação que ele enviou a Ludovico “il Moro”, a mudança de Da Vinci para Milão foi influenciada por suas habilidades como músico e inventor de instrumentos musicais, bem e como por suas atividades como engenheiro militar e estrategista. Leonardo tinha um projeto muito original para construir os principais instrumentos do período da Renascença. Ele projetou e construiu muitos instrumentos, como a lira, o piano portátil, o tambor e a flauta mecânica, entre outros.

Projeto de Instrumentos Musicais -por Leonardo da Vinci.

 Sabe-se também que Leonardo atuou na corte dos Sforza em Milão, não como pintor, mas como diretor de festivais e espetáculos.

Da Vinci acreditava que a arte era a mais nobre de todas as habilidades do homem. Realizou obras primas das mais importantes da história da arte. Em 1503, em Florença, ele começou a trabalhar na mais famosa de suas pinturas, a Mona Lisa. Outra pintura sua também muito importante, é o afresco de A Última Ceia, localizada em Milão. Naturalmente, O Homem Vitruviano é também sinônimo de Leonardo e enquanto ele não “inventava” a concepção da proporção divina, ele prolongou a criação de Vitruvius e esboçou a famosa figura. A maioria dos estudos e experimentos de Leonardo relacionados ao Homem Vitruviano, ajudou suas indagações para a arte perfeita.

Suas pinturas são todas consideradas obras-primas, mas foram seus esboços e pesquisas em anatomia e ciência que mostraram um nível de genialidade centenas de anos à frente de seu tempo. Ele também se tornou um especialista em anatomia humana, onde suas representações de musculatura e tendões permanecem comparáveis a algumas das mais recentes tecnologias de imagem.

Mas talvez nenhuma obra de Leonardo seja mais profunda ou bela do que o desenho de um feto no ventre materno. Mostrado enrolado com o cordão umbilical em volta de um dos tornozelos, o bebê no útero está aparentemente em estado de animação suspensa, provavelmente está a termo, esperando na posição pélvica o momento certo para entrar no mundo. Embora algumas das descrições do bebê feitas por Leonardo fossem imperfeitas, suas descobertas foram, em muitos aspectos, revolucionárias.

Desenho de Anatomia de um Feto no Útero por Leonardo da Vinci

Ele descobriu corretamente que o cordão umbilical é o que nutre e remove os resíduos do bebê, e que o útero é composto de uma câmara e não de duas. O bebê pré-nascido também era tão grande que ele ficou curioso para saber como a criança cabia em um espaço tão pequeno. A experiência parecia evocar uma sensação de admiração.

Da Vinci sabia que o que havia dentro do útero não era como nenhum dos outros estudos anatômicos que realizou. Em vez disso, foi algo incrivelmente especial, quase espiritual. Na verdade, ele revisitou o esboço alguns anos depois e escreveu sua crença de que mãe e filho compartilham uma alma até o nascimento. Escreveu: “Uma e a mesma alma governa esses dois corpos…  e uma mesma alma nutre ambos.”

Estudos do Feto no Útero. Leonardo da Vinci –  c. 1513

Embora muitas pessoas possam discordar sobre a sua conclusão, o artista mais famoso do mundo estava no caminho certo. Um feto não é apenas um aglomerado de células ou uma criatura anômala, mas é um ser humano em desenvolvimento. Demorou séculos até que a invenção do ultrassom e da máquina de ressonância magnética trouxesse uma imagem mais clara da vida ativa e divertida dentro do útero. Ele concluiu em seus estudos, que a vida começa na concepção, momento em que são determinadas a sequência do DNA e todas as características hereditárias. Tudo, desde a cor dos olhos de uma pessoa até o formato do nariz, é determinado naquele instante.

De todas as criações de Leonardo,  não há nada mais real e inspirador do que a imagem deste bebê, onde podemos ver-nos encarnados na maravilha da criação: inocente, milagrosa e misteriosa. É o milagre da vida!

Leonardo foi também um grande estudioso de luz e sombra, e dos efeitos criados por múltiplas fontes de luz sobre fisionomias e objetos. Desde a mais tenra idade, demonstrou uma habilidade artística incomum. Sentia-se atraído por todo tipo de modalidade artística, motivado por uma curiosidade sem paralelo e uma habilidade ímpar para complementar essas áreas com seu conhecimento científico.

Durante sua vida, Leonardo foi encarregado do Exército de Milão como engenheiro e estrategista. Acredita-se que ele tenha feito isso puramente para ganhar dinheiro para se capacitar, assim como seu fiel aprendiz, e, para seguir  outros interesses.

Foi, acima de tudo, um observador incansável que ocupou a sua mente na solução de uma vasta gama de problemas, criando planos e esquemas de invenções que, todavia acabaram levando séculos para serem produzidas.

No dia da Ascensão de 1517, encontra-se em Amboise e vive no Castelo de Cloux. Tem o braço direito paralisado. Faz o seu autorretrato com barba comprida e olhos cansados. Deixa os seus manuscritos, milhares de páginas, a seu discípulo Melzi. Deixa ao mundo um universo de transparências, doçuras e harmonias

Leonardo morreu em 02 de maio de 1519, solitário e descontente. Faleceu em Amboise, na França e sepultado na Igreja de São Florentino, mas seus restos mortais se perdem durante as guerras religiosas.

Entre o seus últimos escritos, inclui-se:

“Eu ofendi Deus e a Humanidade porque a minha obra não alcançou a qualidade que deveria.” 

Enquanto isso, sua Gioconda continuava sorrindo, inalterável.

 LINHA DO TEMPO

15 DE ABRIL DE 1452 – Nasce em Anchiano, lugarejo próximo a Vinci na Toscana.

1453 – Queda de Constantinopla e o fim do Império Romano no Oriente. Gutenberg inventa a prensa gráfica

1456 –  O Cerco de Belgrado

1469 – Leonardo como a trabalhar como aprendiz na oficina de Verrocchio

1472 – Leonardo se associa à Companhia dos Pintores de São Lucas.

1475-1480 – Pinta a Virgem do Cravo, A Anunciação e  a Adoração dos Pastores.

1481 – Início da Inquisição que durou até 1820

1482 – Leonardo muda-se para Milão a serviço do Duque Ludovico Sforza que  procurava encontrar em uma só pessoa, um engenheiro, um artista e um músico

1483 – Leonardo começa a trabalhar  na pintura de “A Virgem dos Rochedos” que está no Louvre. –  Ricardo III é coroado rei da Inglaterra

1484- 89 – Além de terminar várias obras encomendadas, Leonardo amplia o trabalho como arquiteto, na engenharia militar, nas máquinas de vôo e de guerra.

1487 – Leonardo inicia seus estudos e trabalho de anatomia.

1491 – Nicolau Copérnico ingressa na Universidade de Cracóvia.

1492 – Leonardo visita Roma. – Primeira  viagem de Colombo no Novo Mundo.

1493 – Leonardo completa o modelo em argila do “Grande Cavalo” para Ludovico Sforza.

1495-97 –  Realiza sua mais famosa pintura mura “A Última Ceia”, para o Refeitório da igreja di Santa Maria delle Grazie, em Milão.

1499 – Os franceses invadem a Itália. Leonardo foge de Milão.

1502 – Leonardo é contratado como engenheiro militar por Cesare Borgia.

1503 – Recebe a encomenda da obra “A Batalha de Anghiari”. Começa a sua pintura mais importante: a Mona Lisa.

1504 – Realiza a pintura “Leda e o Cisne”.

1506 – Leonardo é convidado para ir a Milão pelo rei francês Luís XII.

1509 – Leonardo desenha mapas e plantas geológicas da Lombardia. Começa a pintar “São João Baptista”.

1512 – Os franceses são derrotados e deixam Milão. – Michelangelo completa a pintura do teto da Capela Sistina. 

1513 – Leonardo vai de Milão a Roma com a finalidade de trabalhar para Giuliano de Medici. Acaba a pintura “Salvador Mundi”.

1515 – Os franceses reconquistam Milão.

1516– Leonardo vai a França trabalhar para Francisco I. Mesmo após um derrame, ainda consegue desenhar.

02 DE MAIO DE 1519 – Faleceu no Castelo de Cloux, perto de Amboise, na França.

 OBRAS CITADAS…

 1- Batismo de Cristo – Essa é uma pintura produzida por Verrocchio para o convento de São Luís.  Na época Leonardo era seu aprendiz. Alguns detalhes existentes nas pinturas de Verrocchio foram feitos pelo então aluno, como o anjo que está a esquerda no detalhe dessa pintura, assim como a paisagem que também é de Leonardo da Vinci.

Batismo de Cristo (detalhe). Verrocchio

2- A Anunciação – Essa é considerada a primeira pintura atribuída a Leonardo da Vinci, mas alguns historiadores atribuem uma parte dela a Verrocchio. Seguindo as escrituras no Evangelho de Lucas, Leonardo retrata O Anjo Gabriel no momento em que anuncia à Virgem Maria, que ela tinha sido a escolhida por Deus a ser a mãe de Jesus, seu filho.

A Anunciação. Leonardo da Vinci. 1475 a 1478 – Óleo sobre Painel (98,4 × 217) – Galleria degli Uffizi, Florença, Itália

3. Adoração dos Magos – Nesta pintura de Da Vinci, a Virgem e o Menino estão no centro de um turbilhão de silhuetas iluminadas pela luz que emana das figuras sagradas.

Adoração dos Magos. Leonardo da Vinci. 1481-82

4. O Homem Vitruviano

O Homem Vitruviano. Leonardo da Vinci- c. de 1490 – Gallerie dell’Accademia, Veneza, Itália

Clique aqui, e saiba mais: O Homem Vitruviano

 5- A Dama com o Arminho – Esse é um retrato de uma das amantes do Duque Ludovico Sforza, Cecília Gallerani.

A dama com Arminho – Leonardo da Vinci

Os animais, segundo Da Vinci, são a imagem do mundo. Escreveu: “Os seres humanos tem muito poder de discurso, o que para a maioria dos casos é vão e falso; animais possuem pouco, mas o usam de forma útil e verdadeira, e uma pequena verdade é melhor do que uma grande mentira”.

6. A Última Ceia

A Última Ceia. Leonardo da Vinci. 1495 97. Refeitório di Santa Maria delle Grazie. Milão

Clique aqui, e saiba mais: A Última Ceia

7. Mona Lisa

Mona Lisa (La Gioconda). 1503-05 – Pintura à óleo sobre madeira de álamo 77x53cm – Museu do Louvre, Paris

Clique aqui, e saiba mais: Mona Lisa  

8. A Batalha de Anghiari Leonardo foi contratado para captar em pintura a glória dessa batalha, recebendo instruções específicas sobre como deveria representar os triunfos militares da República florentina, que desejava comemorar a vitória para todo o sempre. O pintor captou de forma vívida, o terror e a agressão dos soldados durante o posicionamento de combate e a extrema ferocidade dos cavalos, gastando um longo tempo no estudo dos movimentos  dos animais. Devido a técnica empregada, a pintura mural desapareceu, ficando disponível para o mundo somente por reproduções.

A Batalha de Anghiari. Leonardo da Vinci. (Afresco) 1505

9. Cabeça de Mulher – Esse é um belíssimo estudo de Leonardo da Vinci, talvez um dos mais belos retratos produzidos nesse período, que infelizmente também não foi terminado. Dizem que poderia ter sido um esboço para uma Madona.

Cabeça de Mulher. Leonardo Da Vinci ( La Scapigliata) cerca de 1508

10. A Virgem Santa’Ana e o Menino Jesus –  Quadro encomendado a Da Vinci para o grande altar da igreja da Anunciação, em Florença. Porém o quadro não chegou a ir para Florença, pois Leonardo o levou para a França. Posteriormente a obra foi repatriada para a Itália, mas  Richelieu o comprou e o trouxe definitivamente para a França.

A Virgem Sant’Ana e o Menino Jesus. Leonardo da Vinci. cerca de 1510. Museu do Louvre. Paris, França

LEONARDO DA VINCI, 500 ANOS

O artista foi especialmente reverenciado no mundo inteiro durante o ano de 2019, com exposições grandiosas em comemoração aos 500 anos de sua morte.

Uma experiência artística que iniciou no Atelier dês Lumières, em Paris, também foi exibida em outros países como Canadá e Estados Unidos. No Brasil, aconteceu no MIS-SP (Museu da Imagem e do Som de São Paulo) onde esse importante espaço cultural inaugurou o MIS Imersão, inspirado no galpão parisiense que se tornou uma das experiências artísticas mais incríveis do mundo.

O espaço ocupou um local de 2000 m² com um sistema de projeção formado por 150 aparelhos. As exposições foram realizadas com total imersão e interatividade, permitindo aos visitantes  caminharem pelas obras desse gênio do renascimento.

Exposição 500 anos de Leonardo da Vinci (MIS-SP)

 

por Roseli Paulino – @arteeartistas

atualizado em 22/12/2021

 

CARO LEITOR: Agradecemos sua visita. Aproveite o espaço abaixo e nos conte o que achou desse post. Deixe um comentário, a sua opinião é muito importante para nós.

 

CARO LEITOR:  Aproveite o espaço abaixo e nos conte o que achou desse post, o seu comentário é muito importante para nós. Agradecemos sua visita.

“Acredito que a Arte está em tudo no que nos rodeia, basta um olhar sensível para apreciar e usufruir das diferentes manifestações artísticas. A Arte é a grande e bela ilustração da vida.”