Boulevard Montmartre de Noite – Camille Pissarro

Boulevard  Montmartre de Noite é uma pintura criada por Jacob-Abraham-Camille Pissarro, um dos principais integrantes do impressionismo francês. Essa pintura que representa uma cena noturna, é considerada uma das mais célebres com esse tema, juntamente com a famosa Noite Estrelada , a obra prima de Vincent van Gogh.

Em fevereiro de 1897, Pissarro se hospedou em um quarto localizado em Paris na esquina de um dos quatro grandes boulevard’s, então criou uma série de pinturas do Boulevard Montmartre em diferentes momentos .

Esta animada cena noturna, Camille Pissarro captura em pinceladas ousadas de cores a vida elegante desta rua movimentada em uma noite chuvosa e a calçada refletindo as luzes dos cafés e restaurantes. Para ele, esses temas urbanos tardios resolveram um dos problemas primordiais de suas primeiras paisagens – o de retratar a recessão. A estrutura arquitetônica de uma rua de Paris deu a suas pinturas uma profundidade espacial natural, deixando-o livre para se concentrar em outros aspectos da pintura. Aqui ele conduz o olhar para o vazio escuro com linhas de luzes dançantes – os postes de luz, as linhas de carruagens e os reflexos úmidos nas calçadas. Ele reforça as linhas recuadas da rua e dos prédios com extremos tonais – sombras escuras e luzes brilhantes – e elimina o detalhe dos prédios, reduzindo até o pitoresco horizonte dos telhados. Ele tentou representar os vários efeitos que as luzes artificiais têm em cores diferentes: azuladas e pálidas, além de intensas. Formas verticais abstratas na pintura representam as multidões se movendo sob as árvores e além das lojas. De um lado, há uma série de carruagens que estão alinhadas e as luzes acesas esperando a saída dos convidados que estavam no show que aconteceu no Moulin Rouge, que fica nas proximidades. O céu está escuro e enevoado e as nuvens são vistas pairando no ar. Mas as estrelas que são vistas no céu, mostram que as nuvens vão passar em breve. Ele provavelmente teria acrescentado esses pequenos toques de tinta pura bem no final, colocando-os sobre todas as camadas anteriores de tinta.

Apesar de viver e trabalhar no campo durante a maior parte de sua vida, Pissarro mantinha um estúdio em Paris quando podia pagar. No entanto, salvo algumas exceções, não demonstrou interesse pela cidade como tema de pintura até os últimos vinte anos de sua vida. Ele sempre considerou a pintura da natureza da maior importância em sua obra, tinha um olhar sensível tanto à luz quanto ao frio, particularmente ao vento. Isso significava que, exceto em dias quentes e calmos, ele tinha que trabalhar no abrigo de um interior, e encontrar tal quarto, com uma vista que pudesse sustentar seu interesse, o levou de volta à cidade.

A arquitetura de Paris é muito amada há séculos, e os artistas afluíram à cidade para produzir cenas dela em seu próprio trabalho. Escreveu Pissarro: “Estou encantado por poder pintar essas ruas de Paris que as pessoas passaram a chamar de feias, mas que são tão prateadas, tão luminosas e vitais.” Com esse pensamento, ele não se restringiu a pontos de vista em Paris; ele também espiava das janelas dos hotéis nas animadas ruas e portos de Rouen e Le Havre, pintou muitas cenas retratadas pelos impressionistas em seus primeiros anos.

O artista produziu uma série da mesma cena e vista, mas em diferentes condições climáticas, em diferentes horas do dia. Ele ficou muito impressionado porque podia ver toda a extensão do local e também tinha uma visão panorâmica de ônibus, carruagens e pessoas entre grandes árvores e enormes casas que precisavam ser endireitadas. A forma como os principais elementos da cena convergem para um ponto no fundo da pintura equilibra a composição e também pode ter facilitado para seus esboços – é provável que ele tenha feito alguns preparativos desenhos primeiro a lápis ou carvão para obter os ângulos tal como os via na realidade. Depois de produzir várias pinturas da série, ele teria então começado a trabalhar mais por hábito e memória, pois essa vista deslumbrante ficou gravada permanentemente no fundo de sua mente.

Boulevard Montmartre de noite. Camille Pissaro. 1897 – Óleo sobre tela (53,3 × 64,8 cm) – Localização: National Gallery, Londres

 

por Roseli Paulino – @arteeartistas

 

 

CARO LEITOR:  Aproveite o espaço abaixo e nos conte o que achou desse post, o seu comentário é muito importante para nós. Agradecemos sua visita.

 

 

Sair da versão mobile